KAUAN

 


21 / Setembro / 2011

Amanheci cedo, tomei meu banho e me vesti no maior entusiasmo pois teríamos mais uma manhã de entregas no GRAACC, isto sempre me empolga.
Quando abri a janela, vi que estava friozinho, ventando bastante aqui pro meu lado e não tinha cara de que o sol iria aparecer, tratei de colocar algo mais adequado e enquanto isto já fiquei feliz por crer que as crianças estariam lá e portanto dormiriam mais quentinhas esta noite.
Depois do café, saí em companhia do meu maridão que sempre me apoia e incentiva, ele me deixaria lá no hospital e o porta malas foi cheio de acolchoados das entregas do dia e das próximas.
Estava feliz também porque faria as entregas em companhia da Ivani, nossa coordenadora e grande amiga. Sempre é bom quando a vejo e por morar no interior de MG são raras as vezes que ela tem oportunidade de estar conosco, então a felicidade é redobrada por isso. Teríamos também a participação da Lórien, uma voluntária nova, estreante em entregas de acolchoados, eu tinha visitado seu blog na véspera e já tinha em mente seu rosto, só sentia porque a Leda acabou avisando que não poderia ir por conta de uma febre da filha, mas que bom que ela poderia cuidar da filhota e Deus está no controle de tudo, tenho certeza disto.
Chegamos rapidamente lá, abrimos o porta malas, peguei todas as sacolas grandonas...rsrsrs, três em uma mão, duas na outra e conforme fui subindo a rua a Lórien já me aguardava e ofereceu ajuda, que delícia, uma menina linda e meiga, foi gostoso trocar abraço com ela. Subimos as escadas e enquanto pegava meu crachá a Ivani já chegou e colocou a mão no meu ombro, eba, estávamos todas lá e já podíamos subir para a brinquedoteca, subimos no elevador lotado e uma das crianças subiu conosco.
Recebi um presente especial nesta manhã, encontrei a Larissa S que recebeu seu acolchoado em junho de 2005, uma das primeiras entregas que eu participei. Na época ela tinha 3 anos, agora já vai fazer 10 e está super linda e bem, fiquei tão feliz por vê-la e agradecendo a Deus por fazer parte deste projeto.
Nos ajeitamos no nosso canto preferido e já era hora de iniciar as entregas.
O Kauan tinha chegado em companhia da vovó Leide e já estava no vídeo game, eles não querem perder tempo quando estão por ali, mas assim que chamamos ele veio e a Ivani fez a entrega em companhia da Lórien.
Ela foi brincando com ele, falando sobre o tema, a vovó entrou no clima da brincadeira e ele amou quando viu sua almofada com um carro de bombeiros, mas estava ansioso por ver o acolchoado e ficou visivelmente feliz quando o abrimos. Com a ajuda da Ivani ele leu o bloco de assinatura, amou ver seu nome e depois também com a ajuda dela e da Lórien foi lendo os nomes e cidades de todas as voluntárias que tinham bordado pra ele e curtiu bastante.
Fizemos pose pras fotos e ele é mais quietinho, então ficava meio constrangido cobrindo o sorriso dos lábios com a almofada. Foi uma entrega tranquila e gostosa e eles agradeceram muito o presente.
A vovó tinha que ir trabalhar, mas permitiu que o Kauan ainda voltasse para o vídeo game mais um pouquinho. Ele está bem no tratamento, voltando ao hospital apenas para controle de tempo em tempo, que bom!
Que Deus continue abençoando o Kauan e a Maria Fernanda, que eles possam curtir seus acolchoados por muiiiiiiiiiiiiiitos anos e que cada um de nós voluntárias(os) deste querido projeto possamos continuar unidas em torno de pontinhos e retalhos pra vivermos muitos outros momentos como estes.
Beijos no coração, Aracy



Hoje, depois de muito tempo, tive a oportunidade de participar das entregas do GRAACC e foi uma manhã maravilhosa!!
Ganhei meu dia!
O dia amanheceu mais fresco do que ontem, e eu estava feliz e ansiosa, acordei antes mesmo do celular despertar, levantei às 6:30hs, me preparei e fomos de carro, o transito estava intenso, e a Anhanguera toda congestionada, levamos mais de meia hora para percorrer os primeiros 5 quilômetros até chegar no Alto da Lapa, de lá até a estação de metrô mais próxima, Vila Madalena, o transito estava fluindo melhor, que bom! Estacionamos o carro e logo estávamos dentro do Metrô em direção a estação Santa Cruz. Desembarquei às 8:49hs e andei o mais depressa que pude em direção ao GRAACC, umas cinco quadras abaixo, sabia que a Aracy já deveria estar chegando por lá, cheia de pacotes e queria ajudá-la a descarregar o carro, mas não deu. Quando cheguei ela e a Virgina Lórien já estavam lá na entrada conversando enquanto aguardavam que eu chegasse.
Logo subimos para a brinquedoteca, no elevador, já encontramos com algumas crianças entre eles um menino falador, que depois descobrimos que era o Kauan, tão logo ele entrou na brinquedoteca já correu para a área com os video games para brincar.Neste espaço lúdico as crianças esquecem da doença e brincam pra valer. Logo que entramos a Aracy reconheceu a Larissa S (2005), que estava com a mamãe brincando em uma das mesas. Ela está linda, com um cabelo enorme, fará 10 anos na próxima semana e nos contou que ainda curte muito o Acolchoado de Amor dela. Procuramos por um cantinho, conversamos com a Dora, guardamos alguns acolchoados que serão entregues em breve e logo demos início as entregas.
Kauan foi chamado para receber seu presente e apesar de estar brincando, veio todo sorridente atendendo ao nosso chamado, mas dava para notar que ele estava ansioso. Eu e a Virgina Lórien fizemos a entrega. Perguntei a ele se ele sabia o que tinha ido fazer lá hoje e ele respondeu que iria passar em consulta, perguntei se a vovó não havia contado mais nada e ele respondeu que iria receber uma colcha. Perguntei se ele lembrava o tema e como ele disse que não, aproveitei a deixa e disse que havíamos levado um acolchoado lindo pra ele, da Barbie, e mais do que depressa ele disse que da Barbie ele não queria. rsrs. Então falamos que caso fosse da Barbie ele poderia dar de presente para a vovó e ele concordou. A vovó Juscileide adorou e entrou na brincadeira, e o Kauan com uma carinha de "ah não" rsrs
Sugeri então que o pacote fosse aberto para confirmarmos se era ou não da Barbie. Ele colocou a mão dentro do pacote e puxou a almofada, imediamente um sorriso de alívio e contentamento tomou conta do rostinho dele. Depois pegou o acolchoado, abrimos para que ele pudesse curtir todos os detalhes. A Virginia Lórien, perguntou se ele sabia para que eram todos aqueles carros e os olhinhos deles começaram a observar tudo, leu o nome e as cidades de todos os blocos bordados e depois leu o bloco de assinatura e ficou ainda mais feliz ao ver que o acolchoado tinha também o nome dele bordado. Fotos tiradas, ainda brinquei que agora que todas as fotos tinham sido tiradas que eu levaria o acolchoado pra minha casa ao que de pronto ele disse que não podia, pois era dele. Disse então a ele que ele não havia lido o nome que estava em um bloco e mostrei o bloquinho de patch com a minha assinatura. Depois que ele leu, estendi a mão e disse, prazer em te conhecer Kauan, eu sou a Ivani e pedi um beijo de tchau. Trocamos um abraço e enquanto a avó assinava a declaração de recebimento ele beijou todas nós e correu para o video game para continuar aproveitando os últimos minutos na brinquedoteca. Dna Juscileide agradeceu e disse que era um presente para ele curtir sempre e quando ele crescer ficará para o filho dele.
Assim, as entregas transcorreram, foi uma manhã alegre para todos: voluntárias e crianças. Nós saímos de lá com o coração feliz pela certeza de mais duas missões cumpridas, tendo a certeza que hoje Kauan e Maria Fernanda estarão aquecidos por nosso carinho.
Que Deus nos fortaleça e que não nos cansemos de fazer o bem para que muitas outras crianças possam receber e sorrir com nossos Acolchoados de Amor.
Abraços, Ivani



Esta foi minha primeira ida ao GRAACC, e minha primeira entrega. Como não conhecia a Aracy pessoalmente, decidi ir com uma blusa de frio aberta (que logo foi para a mochila) e uma camiseta de gatinhos que eu tinha usado num evento semana passada, pois eu sabia que a Aracy tinha visto meu blog - e a camiseta de gatinhos seria muito fácil de reconhecer.
Cheguei ao GRAACC adiantada, e fiquei esperando, ansiosa. Aracy chegou quase no horário - e eu roendo os dentes - e me reconheceu facilmente! Eu também achei que só podia ser ela, com aquele tanto de pacotes! Logo encontramos também a Ivani, que nos acompanhou na entrega - A Aracy ficou responsável pelas fotos, eu e a Ivani fizemos a entrega.
Entramos no elevador, já cheio, com um pouco de aperto, e no elevador mesmo descobrimos que estávamos na compania do Kauan, nossa primeira entrega da manhã.
Tão logo chegou na brinquedoteca, Kauan pediu um jogo de videogame. "Que jogo?" Perguntou a funcionária. "Qualquer um!". Sob os olhares da avó, lá se foi ele, todo feliz, jogar um pouco enquanto nos arrumavamos. Quando pedimos para chamá-lo, ele ficou um pouco chateado por ter de parar o jogo, mas logo passou o desânimo. Perguntei a ele o que ele estava jogando, e ele não soube responder. Perguntei a ele se sabia o que iamos fazer, e ele disse que a avó tinha contado que ele "ia receber uma colcha". O tema, no entanto, ele não se lembrava. Pegamos o pacotão, fizemos um pouco de suspense, e ele puxou a almofada! Como aquilo foi gostoso, o jeito que ele abraçava a almofada! Depois, o acolchoado. Ele, surpreso, disse: "Aaaaaaaaah, é um cobertor!", e ficou fascinado. Fui perguntar para ele se ele sabia o que era um determinado veículo, e o nome da voluntária lhe chamou a atenção. Então, explicamos a ele que aqueles eram os nomes e os locais onde moravam as pessoas que bordaram o acolchoado, e ele curtiu muito ler todos os blocos, com ajuda minha e da Ivani. Os três juntos fizemos a leitura do bloco de assinaturas, e ele - um cavalheiro, muito gentil e educado - se despediu de nós com abraços gostosos.
Abraços, Lórien




Fotos da Entrega


Kauan recebendo seu acolchoado da Ivani


Kauan olhando seu acolchoado


Kauan e seu acolchoado